Guia de Vacinação

O que é vacina?

A vacina é um mecanismo que faz o nosso corpo criar anticorpos contra determinados tipos de vírus e bactérias causadores de doenças.

Quando estamos vacinados e entramos em contato com esses agentes patológicos, nosso corpo já está totalmente protegido e as doenças não chegam nem a se manifestar.

A primeira vacina de que se tem registro é a antivariólica, criada por Edward Jenner no século XVIII. Através de uma experiência, ele comprovou que quando a secreção de um doente é injetada em uma pessoa saudável, os sintomas desenvolvidos são muito mais brandos e ela torna-se imune à doença.

Jenner então desenvolveu uma vacina a partir de outra doença, a cowpox (um tipo de varíola que acometia as vacas), pois percebeu que as pessoas que ordenhavam as vacas adquiriam imunidade à varíola humana. E assim surgiu o nome “vaccina”, “de vaca” em latim, que passou a ser usado para todos os agentes que têm a capacidade de produzir anticorpos.

E assim surgiu o nome “vaccina”, que em latim significa “de vaca”, e esse passou a ser usado para todo o agente que tem capacidade de produzir anticorpos.

Como funciona uma vacina?

Quando os germes da doença entram no corpo, eles começam a se reproduzir. O sistema imunológico reconhece esses germes como invasores estrangeiros e reage produzindo proteínas chamadas anticorpos.
A primeira função destes anticorpos é ajudar a destruir os germes que estão deixando a pessoa doente. Os anticorpos não agem rápido o suficiente para impedir que a pessoa fique doente, mas eliminam os germes de ataque ajudando a pessoa a se sentir melhor.
A sguenda função dos anticorpos é proteger contra infecções futuras. Os anticorpos permanecem na corrente sanguínea, e se os mesmos germes tentar infectá-lo novamente – mesmo depois de muitos anos – os anticorpos virão a sua defesa mais experientes na luta contra estes germes específicos. Nessa situação, os anticorpos destroem os germes antes que eles tenham chance de deixar a pessoa doente. Esta é a imunidade gerada pela vacina.

É por isso que, uma vez sendo contaminado por doeças como sarampo ou catapora, nunca mais os sintomas se repetem embora possam ser expostos aos germes várias vezes durante sua vida.

Porque tomar vacina?

A maneira mais simples e segura de se prevenir contra doenças é através da imunização. A vacina, solução composta pelo próprio vírus, bactéria ou fungo, “atenuados”, vivos ou mortos, estimula o corpo na produção de anticorpos capazes de proteger contra certas doenças. Isso ocorre, pois ao ser administrada no organismo inicia-se um processo de reação do sistema imunológico semelhante a que se ocorreria num caso de infecção por um determinado agente patogênico. Seu modo de administração pode variar de acordo com a vacina. Algumas se apresentam em forma de solução oral ou injeções, com mais de uma dose (conhecida como reforço) ou em uma única aplicação conferindo imunidade por toda a vida.

Mitos e Fatos

- Previna-se contra frio

É chegada a época invernosa, estação mais fria do ano. Nesse período “é importante estar com a vacinação em dia para evitar doenças comuns nesta época do ano”, frisa Dra. Ana Rosa dos Santos, Gerente Médica do Sabinvacinas.

 Os cuidados com a saúde devem ser redobrados durante a estação.  Proteger-se contra o frio, evitar locais fechados e aglomerações, ingerir muita água e ter boa alimentação são alguns dos cuidados recomendados para a população evitar males à saúde como gripes, resfriados, pneumonia, meningite, entre outras.

Nos meses de junho e julho existe uma maior procura pela vacina da gripe, assim como também pelas vacinas antipneumocóccicas (Pneumocócica 10v, 13v e Pneumocócica 23v) que além de prevenir contra a pneumonia, evita a sinusite, otite média e ainda a meningite, como forma secundária, causada por esta bactéria – pneumococo.  “É preciso prevenir contra essas doenças porque são transmitidas por via respiratória – de pessoa a pessoa, principalmente, por meio das gotículas do espirro e da tosse. Independente se for criança, adolescente ou adulto, é importante que o calendário de vacinação esteja atualizado”, explica.

Além da atualização de suas vacinas como principal medida preventiva, é importante o diagnóstico precoce e o tratamento adequado dos sintomas. Procure seu médico imediatamente.

Vacinas oferecidas para evitar doenças comuns na época de frio podem ser encontradas na Clínica de Imunização Sabinvacinas:

  • Influenza (Trivalente, incluindo o vírus sazonal)
  • Pneumo 10v e Pneumo13v aplicada a partir de dois anos de idade e as doses seguintes a cada 60 dias – aos 4 e 6 meses com um reforço aos 15 meses. Aquelaas crianças que fizeram a Pneumo 7v deve receber uma dose suplementar como uma maneira de adquirir proteção contra aos seis sorotipos incluídos na vacina Penumo 13v. Essa dose é fundamental porque os sorotipos incluídos são os mais resistentes e causam quadros clínicos mais graves. Com esta dose protege, principalmente, contra Doença Pneumocócica Invasivas/DPI.
  • Pneumo 23: dose única a partir de dois anos de idade e uma segunda dose após a primeira dose É uma vacina indicada para os imunocomprometidos ou acima de 55 anos de idade. Está também indicada para adultos com idade maior ou igual a 60 anos; pessoas entre 2 e 60 anos com indicação médica de alguma doença crônica ou  por outras condições clinicas como transplantados, imunodeprimidos, etc).
  • Infecções que previne as vacinas Pneumocócicas:

- Meningite: infecção pelo pneumococo da membrana que envolve cérebro e a medula espinhal;

- Pneumonia: infecção dos pulmões;

- Septicemia: infecção que dissemina pela corrente sanguínea – infecção generalizada;

- Otite média: infecção do ouvido médio;

- Sinusite: infecção dos seios nasais.

  • Meningite meningocócica conjugada C: a partir de três meses de idade, com uma dose subseqüente aos 5 meses e um reforço entre 15 e 18 meses. Crianças acima de cinco anose adolescentes devem fazer reforço com esta vacina. Adultos recebe dose única com esta vacina ou a meningo tetravalatente  que além co sorogupo C,  protege contra os sorogupos A, W135 e Y. Os sorogrupos W135 e Y já circulam no País.
  • Influenza (Gripe Trivalente, inclusive a Sazonal): uma dose anual. Adultos e crianças a partir de seis meses de idade até três anos recebem duas doses (vacinação primária) e após estas doses, receberão apenas uma dose anual.

Veja aqui algumas curiosidades sobre a Asma. 

Semana do combate a Asma

 

.

- Mito: O risco da cólera para a maioria dos viajantes de áreas endêmicas é muito baixo.

Fato:
O quadro geral de incidência da cólera é de 2-3 a cada 1 milhão, porém, para aqueles que ficam em áreas de surto, o número de incidentes aumenta para 5 a cada mil.

- Mito: Existe um risco aumentado de convulsão febril após a vacinação com a vacina MMR?

Fato:
Entre as crianças com menos de 7 anos de idade vacinadas com a vacina tríplice viral, uma convulsão febril ocorre de 8 a 14 dias após a vacinação entre 4000 crianças vacinadas.

- Mito: A vacina da Hepatite A+B protege contra a hepatite C?

Fato:
Não. A hepatite C é causada por um vírus diferente chamado vírus da hepatite C (HCV). Não existe vacina disponível para prevenir a infecção pelo HCV.

- Mito: A vacina contra o tétano é somente aplicada em crianças

Fato:
Como a imunidade ao tétano diminui ao longo do tempo, adultos precisam obter uma dose de reforço a cada 10 anos para ficarem protegidos. Para adultos que ainda não tomaram a vacina dTpa, a melhor coisa a fazer é tomá-la no lugar da vacina antitetânica ordinária seguinte. A dose de dTpa pode ser tomada antes dos 10 anos, então uma boa ideia é falar com um médico sobre o que é melhor para sua situação específica. Certifique-se de que você e seus filhos estão protegidos contra o tétano.

- Mito: A vacina do tétano é dose única

Fato:
Como a imunidade ao tétano diminui ao longo do tempo, as crianças mais velhas precisam tomar a vacina dTpa. Esta dose de reforço contém uma concentração total de tétano e menores concentrações de difteria e coqueluche (tosse convulsa). A vacina dTpa é recomendada para todos os jovens entre 11 e 18 anos de idade e, de preferência, deve ser tomada em uma visita ao médico para um check-up regular entre os 11 e 12 anos de idade.

- Mito: Adulto não precisa tomar a vacina contra a Meningite

Fato:
Como um adulto, você deverá receber a vacina MPSV4 ou a vacina MCV4 se:
- Você é um calouro universitário que vive em um dormitório;
- Você é um recruta militar;
- Você tem um baço danificado ou teve o baço removido;
- Você tem deficiência de complemento terminal;
- Você é um microbiologista que é rotineiramente exposto à Neisseria meningitidis (o agente patogénico causal);
- Você está viajando por países ou residindo em um país onde a doença é comum.

- Mito: Se você tiver mais de 65 anos de idade, você precisa ser vacinado uma vez por ano contra pneumocócica.

Fato:
Uma única dose da vacina contra pneumocócica é recomendada para pessoas com mais de 65 anos de idade.

- Mito: A doença pneumocócica não é comum ou grave

Fato:
A doença pneumocócica é uma doença muito grave, resultando em infecções graves causadas pela invasão de bactérias infecciosas em crianças americanas. A doença pneumocócica invasiva mata milhares de pessoas nos Estados Unidos todos os anos, sendo a maioria com mais de 65 anos de idade.

- Mito: A vacina contra Hepatite B não pode ser tomada junto de outras vacinas

Fato:
Sim, a vacina Hepatite B pode ser tomada junto com outras vacinas. Receber duas ou mais vacinas ao mesmo tempo nunca mostrou-se um risco à saúde.