Calendário do Adolescente

Vacinas para o Adolescente

O Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde tem direcionado o seu foco de atenção muito além das crianças menores de cinco anos, como inicialmente proposto no início dos anos setenta. O aumento desta prática decorre da necessidade de prestar atenção integral à saúde do adolescente, grupo vulnerável a acidentes, violência, uso de drogas, DST/AIDS, gravidez precoce, doenças preveníveis por vacinação, dentre outros. Verifique se seu filho está em dia com o esquema de vacinas proposto no calendário de vacinação do adolescente. Fonte: Sociedade Brasileira de Imunização (SBIM)

de 12 a 18 andos de idade completos
  • Tríplice viral Sarampo, Caxumba, Rubéola (SCR)
    • Cometários

      Dose única para adolescentes previamente vacinados.
      Duas doses (com intervalo mínimo de 30 dias entre elas) para aqueles que nunca receberam a tríplice viral ou a dupla viral ou que desconhecem seu passado vacinal. Contra-indicada em imunodeprimidos e gestantes.






  • Meningocócica Conjugada
    • Comentários

      Uma dose, mesmo para aqueles vacinados na infância ou há mais de cinco anos.
      Dose de reforço é recomendada a partir dos 11 anos ou para aqueles vacinados há mais de cinco anos. A vacina meningocócica conjugada quadrivalente (tipos A.C, W135 e Y) deve ser considerada opção para a imunização de adolescentes.

  • Influenza - (gripe)
    • Comentários

      Dose única anual. Cepas circulantes; diferentes a cada ano.
      No hemisfério sul a temporada ou variação sazonal é de abril a setembro.

  • HPV
    • Comentários

      Duas vacinas estão disponíveis no Brasil: uma contendo os tipos 6, 11, 16, 18 de HPV com esquemas de intervalos de 0-2-6 meses, indicada para meninas, meninos e jovens de nove a 26 anos de idade; outra, contendo os tipos 16 e 18 de HPV com esquemas de intervalos de 0-1-6 meses, indicada para meninas
      e mulheres de 10 a 25 anos de idade.

      Vacina HPV indicada para a prevenção de infecções por papilomavírus. Sempre que possível, a vacina contra HPV deve ser aplicada preferencialmente na adolescência, antes de iniciada a vida sexual, entre 11 e 12 anos de idade.
      O Papilomavírus pode ser transmitido mesmo sem manifestação visível, tornando maior o risco de contágio.

      A ANVISA licenciou a vacina quadrivalente contra o HPV contendo os tipos 16, 18, 6 e 11 para a proteção de meninos e jovens entre nove (9) e 26 anos de idade, com esquema de 0-2-6 meses.

  • Hepatite B
    • Comentários

      Hepatite B: três doses - a 2ª dose um mês depois da 1ª dose e a 3ª dose seis meses após a 1ª dose (esquema 0-1-6 meses).
      Adolescentes não vacinados na infância contra as hepatites A e B devem ser vacinados o mais precocemente possível contra essas infecções.
      Em adolescentes com menos de 16 anos indica-se também o esquema de duas doses com intervalo de seis meses (esquema 0 - 6 meses) quando usada a apresentação para adulto da vacina combinada contra hepatite A e B.

  • Hepatite A+B
    • Comentários

      Esquema: três doses - a 2ª dose um mês depois da 1ª dose e a 3ª dose seis meses após a 1ª dose (esquema 0-1-6 meses).

      Adolescentes não vacinados na infância contra as hepatites A e B devem ser vacinados o mais precocemente possível contra essas infecções.
      Em adolescentes com menos de 16 anos indica-se também o esquema de duas doses com intervalo de seis meses (esquema 0 - 6 meses) quando usada a apresentação para adulto da vacina combinada contra hepatite A e B.

      A vacinação combinada contra as hepatites A e B é uma opção e pode substituir a vacinação isolada contra as hepatites A e B.

  • Hepatite A
    • Comentários

      Esquema: duas doses - 2ª dose seis meses após a 1ª dose (esquema 0-6 meses).

      Adolescentes não vacinados na infância contra as hepatites A e B devem ser vacinados o mais precocemente possível contra essas infecções.
      Em adolescentes com menos de 16 anos indica-se também o esquema de duas doses com intervalo de seis meses (esquema 0 - 6 meses) quando usada a apresentação para adulto da vacina combinada contra hepatite A e B.

  • Febre Amarela
    • Comentários

      Esquema:Uma dose a cada 10 anos para pessoas que se deslocam para áreas endêmicas (território nacional ou internacional).

      Indicada para residentes em áreas endêmicas de febre amarela e para as pessoas que vão viajar ou se mudar para essas regiões, assim como para atender as exigências sanitárias de determinadas viagens internacionais.

      Vacina contra-indicada para imunodeprimidos e gestantes, exceto quando os riscos de adquirir a doença superam os riscos potenciais da vacinação.

      Recomenda-se vacinar 10 dias antes da viagem.

  • Difteria, Tétano, Coqueluche e Poliomielite Inativada - QUADRA
    • Comentários

      Uma dose entre 10 e 11 anos, dez anos após a última dose para o reforço imunológico dos adolescentes.
      Com esquema de vacinação básico completo: reforço com QUADRA (dTpa+VIP). O uso da QUADRA - Difteria, Tétano, Coqueluche e Poliomielite Inativada (dTpa+VIP) indicada para reforço da imunidade, principalmente, da coqueluche (pertussis). Pode substituir a vacina dT ou dTpa no reforço.
      Na mesma vacina proteção contra a poliomielite (em decorrência de viagens a países de risco de contaminação com o pólio selvagem).

  • Tríplice Bacteriana Difteria, Tétano e Coqueluche
    • Comentários

      Com esquema de vacinação básico contra o tétano completo: reforço a partir dos 11 anos com dTpa (tríplice bacteriana acelular do tipo adulto).

      Com esquema de vacinação básico contra o tétano incompleto: uma dose de dTpa a qualquer momento e completar a vacinação básica com uma ou duas doses de dT (dupla bacteriana do tipo adulto) de forma a
      totalizar três doses de vacina contendo o componente tetânico. Em ambos os casos, na impossibilidade do uso da vacina dTpa, substituir a mesma pela vacina dT.
      A disponibilidade da vacina tríplice contra tétano, difteria e pertussis acelular (dTpa), formulada para uso em adolescentes e adultos, oferece novas oportunidades para reduzir o impacto da coqueluche. O uso dessa vacina confere proteção contra as três doenças e potencialmente deve reduzir a transmissão da coqueluche para outros grupos com alto risco de complicações



  • Varicela (Catapora)
    • Comentários

      Duas doses, com intervalo de um a dois meses entre elas.
      Indicada para adolescentes sem história de Catapora. Contra-indicada em imunodeprimidos e gestantes.

      Aplicar Tríplice Viral e Varicela no mesmo dia (simultâneas), se não considerar intervalo mínimo de 30 dias.




Notícias

Artigos

Evite a catapora
Crianças em fase escolar têm mais chances de se co...
Quanto tempo o vírus HIV sobrevive fora do corpo? ...
HIV pode viver fora do corpo por meses, dependendo...
Rotavírus: um vírus fatal
A infecção pelo rotavírus é a causa mais comum de ...

Mitos e Fatos

Mito: A vacina da Hepatite A+B protege contra a he...
Fato: Não. A hepatite C é causada por um vírus dif...
Mito: O risco da cólera para a maioria dos viajant...
Fato: O quadro geral de incidência da cólera é de ...
Mito: Adulto não precisa tomar a vacina contra a M...
Fato: Como um adulto, você deverá receber a vacina...